Pesquisar

sexta-feira, 31 de maio de 2013

ERROS NA BÍBLIA

A Bíblia está CHEIA de erros 

O primeiro erro foi quando Eva duvidou da Palavra de Deus;
O segundo erro aconteceu quando seu esposo fez o mesmo;
E assim erros e mais erros ainda estão sendo cometidos...
porque as pessoas insistem em duvidar da Palavra de Deus.

A Bíblia está CHEIA de contradições

Ela contradiz o orgulho e o preconceito;
Ela contradiz a lascívia e a desobediência;
Ela contradiz o seu pecado e o meu.

A Bíblia está CHEIA de falhas

Porque Ela é o relato de pessoas que falharam muitas vezes ;
Assim foi com a falha de Adão;
Com a falha de Caim;
e a de Moisés;

Bem como a falha de Davi e a de muitos outros que também falharam.
Mas Ela é também o relato do amor infalível de Deus.

Deus NÃO ESCREVEU a Bíblia

Para pessoas que querem jogar com as palavras;
Para aqueles que gostam de examinar o que é bom mas sem fazê-lo;
Para o homem que não acredita porque não quer.

O homem moderno DESCARTOU os ensinamentos da Bíblia

Pelas mesmas razões que outros homens tem descartado através da história
por grande ignorância a sua verdadeira mensagem e conteúdo;
Intransigente apatia em recusar considerar suas declarações;
Bem conhecidos pseudo-cientistas posando de críticos honestos;
Convicção secreta de que este Livro está certo e de que os homens estão errados.

Somente uma pessoa PRECONCEITUOSA acreditaria que:

Os ensinamentos bíblicos são passados e irracionais, sendo princípios arcaicos e sem propósito;
A Bíblia está cheia de discrepâncias e afirmações inaceitáveis;
Ela só poderia ser trabalho irrelevante e não inspirado de meros homens.

A Bíblia é, afinal, somente mais um LIVRO RELIGIOSO

Para milhares que não se arriscam serem honestos consigo mesmos e com Deus;
Para os que tem medo de aceitar o desafio do próprio Deus a um exame honesto;
Para os que não querem examiná-la a fundo porque Ela diz verdadeiramente como os homens são.

E você não pode ENTENDER ou CONFIAR no que a Bíblia diz

A menos que você esteja disposto a considerar as evidências e encarar face a face o AUTOR! 


Tradução de texto escrito por Winkie Pratney – apologista e evangelista – Nova zelandês

terça-feira, 21 de maio de 2013

IMPULSOS, SOB CONTROLE?



De uma coisa tenho certeza: dos impulsos que me assaltam, uns são do Espírito, outros são da carne. De outra coisa também tenho certeza: não sou o único a ter impulsos saudáveis e impulsos maquiavélicos. Tanto os bons como os maus têm uns e outros. A possível diferença é que os bons costumam filtrar os impulsos bons e os maus costumam filtrar os impulsos maus.

Para ficar por dentro do que é impulso, busquei os sinônimos do verbo impulsar: animar, atiçar, empurrar, estimular, impelir, incitar, instigar, mobilizar. Não satisfeito, catei as palavras cognatas: impulsar, impulsionar, impulsionador, impulsionante, impulsão, impulsividade, impulsivo, impulso, impulsor. Por saber da relação da psicologia com os impulsos, consultei o Dicionário de Psicologia Dorsch e encontrei as seguintes expressões: deficiência de impulso, impulso final, medição de impulso, impulso sexual, impulsos primários, impulsos secundários.

 Achei melhor encarar o problema de maneira mais simples e mais prática.
 A história de Sansão veio a calhar, pois a Bíblia diz que foi em certo lugar que “o Espírito do Senhor começou a impelir Sansão” (Jz 13.25). Em outras versões, diz-se que o Espírito começou a movimentá-lo, começou a agir nele, passou a incitá-lo. Em outra passagem, leio que Deus estava atiçando, ou suscitando, ou mobilizando os babilônios para irem à guerra contra Israel (Hc 1.6). E entendi melhor o que é impulso.

O impulso é aquilo que vem de fora para dentro. É aquela ideia, aquela vontade, aquele ímpeto, aquela disposição, aquela força que pode mover e fazer alguma coisa grande ou pequena, notável ou trivial, certa ou errada, gratificante ou prejudicial, elogiosa ou censurável.

Esse reconhecimento puro e simples me levou a ter cautela com o impulso. É por isso que, de hoje em diante, com a ajuda de Deus, faço três solenes promessas:

1) filtrar todos os meus impulsos;
2) pôr de lado corajosamente os impulsos contrários à fé e à ética cristã;
3) abrigar, ou acolher, ou hospedar os demais impulsos.
 
Não quero ser ingênuo. Sei que o ser humano tanto pode ser impulsionado pelo Espírito como por sua natureza pecaminosa, e também pela mídia, pela cultura, pelo marketing, por familiares e amigos e pelas inegáveis potestades do ar. Para concluir, devo dar asas aos impulsos que procedem do Espírito e me proteger dos impulsos contrários, que procedem de outra fonte. Isso significa andar no Espírito e não na carne, como ordena Paulo (Gl 5.16).

De hoje em diante, com a ajuda de Deus, vou me dar o trabalho de negar-me a mim mesmo quando o impulso vier de má fonte e abrir-me a mim mesmo quando o impulso vier de boa fonte. Tenho a obrigação de agir assim porque considero-me discípulo de Jesus (Mc 8.34).

Fonte: Revista Ultimato março-abril 2013

domingo, 19 de maio de 2013

SANTA CRUZ RN - MINHA TERRA DE ORIGEM


Santa Cruz RN - Vista Aérea

Santa Cruz é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Norte. Localiza-se a 115 km da capital do estado Natal, a qual se liga através da BR-226. O município é mais conhecido por ser terra do Alto de Santa Rita de Cássia, maior estátua religiosa da América Latina.
De acordo com o censo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no ano 2012, sua população é de 36.477 habitantes. Área territorial de 624,390 km².
Uma  das entradas principais - vindo sentido Tangará.

Em 1831, José Rodrigues da Silva, proprietário da Fazenda Cachoeira aliou-se aos irmãos João da Rocha e Lourenço da Rocha (conhecidos na cidade como os irmãos Rocha), novos donos de terras na localidade de Malhada do rio Trairi, povoado de Santa Rita da Cachoeira. A escolha do local para a implantação do núcleo populacional foi feita porque na localidade de Cachoeira não havia água suficiente para suprir as necessidades de uma população.
Logo, muitas casas surgiram, de forma alinhada, em torno da capela construída em homenagem a Santa Rita de Cássia, a qual José Rodrigues era devoto. O povoado foi mudando de nome com o passar dos anos. Depois de Santa Rita da Cachoeira, mudou para Santa Cruz da Ribeira do Trairi e por último, para Santa Cruz.
  Vista de Santa Cruz - ao centro -  Igreja Católica Romana

Há uma lenda que justifica a origem do vínculo de Cruz aos nomes dados ao lugar, contada em diversas versões pelos habitantes do município: um missionário, ouvindo falar que os habitantes das ribeiras do rio Trairi sofriam as inclemências das secas, bem como ataques de animais ferozes e que entre eles havia lutas e rivalidades, resolveu visitar o povoado. Chegando lá, mandou fazer uma grande cruz com os ramos de uma árvore chamada inharé. Em frente a capela, um enorme buraco foi aberto e o missionário ordenou que nele todos jogassem suas armas, cobrissem o buraco com terra e ali fincassem a cruz. Então, disse o missionário — “virá um padre, muito estimado, que mandará retirar esta cruz para um monte; não consintam, pois esta é a Santa Cruz do Inharé”. Contam ainda que a árvore inharé era sagrada e que atraía toda sorte de males quando seus ramos eram quebrados. Depois que o missionário ergueu a cruz de Inharé, os malefícios cessaram, as fontes jorraram água e os animais tornaram-se mansos. No ano de 1835, com o nome de Santa Cruz da Ribeira do Trairi, tornou-se distrito.
A elevação o cruzeiro - transformado em centro de peregrinação da padroeira da cidade. Como cristão santacruzense não corroboro com a ideia pública, embora respeite. Em sendo as Escrituras o livro das verdades de Deus aos homens, este marco tem trazido e trará maldições sobre a cidade. Por quê? É abominação aos olhos de Deus, tirando-lhe a direção da devida adoração a Ele. 

A luta para transformar o distrito em município contou com a participação fundamental do padre Antônio Rafael Gomes de Melo, do Tenente coronel Ivo Abdias Furtado de Mendonça e Menezes e dos fazendeiros Trajano José de Faria e Félix Antônio de Medeiros. Desmembrado do município de São José de Mipibu, no dia 11 de novembro de 1876, o distrito de Santa Cruz da Ribeira do Trairi, tornou-se município.
Em 1890, passou a ser chamado simplesmente de Santa Cruz.

Fonte: pt.wikipedia.org, pesquisa em 19 de maio de 2013.

Fotos localizadas no BLOG Coisas do Brasil - do Herculano.

MOÇA QUE O NAMORADO NÃO QUERIA CASAR.

video

NÃO POTENCIALIZE SEUS PROBLEMAS.

video

terça-feira, 14 de maio de 2013

Cartórios são obrigados a celebrar casamento gay


De acordo com a decisão do Conselho Nacional de Justiça, cartórios terão de converter as uniões estáveis homoafetivas em casamento civil.

Agência Estado - 1405/2013 11:31:06

Os cartórios de todo o Brasil serão obrigados a celebrar casamento civil entre pessoas do mesmo sexo. Por decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), os cartórios terão de converter as uniões estáveis homoafetivas em casamento civil, mesmo que ainda não haja previsão legal para isso. 
                                                                                                   
A proposta foi apresentada pelo presidente do CNJ, Joaquim Barbosa, que também preside o Supremo Tribunal Federal (STF), e aprovada por 14 a 1. A conselheira Maria Cristina Peduzzi foi a única a votar contra a aprovação da resolução, sob o argumento de que, para permitir o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo, o Congresso teria de aprovar um projeto de lei. Há projetos em tramitação no Congresso sobre o casamento civil de pessoas do mesmo sexo. 
A resolução aprovada pelo CNJ diz que: "É vedada às autoridades competentes a recusa de habilitação, celebração de casamento civil ou de conversão de união estável em casamento entre pessoas de mesmo sexo". E acrescenta que, se houver recusa dos cartórios, será comunicado o juiz corregedor para "providências cabíveis".

O presidente do CNJ afirmou que a resolução remove "obstáculos administrativos à efetivação" da decisão do Supremo. "Vamos exigir aprovação de nova lei pelo Congresso Nacional para dar eficácia à decisão que se tomou no Supremo? É um contrassenso."

O subprocurador da República, Francisco de Assis Sanseverino, manifestou-se contra à aprovação da resolução e citou os votos dos ministros Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski, que foram favoráveis ao reconhecimento da união homoafetiva, mas deixaram claro que a decisão não legalizava o casamento.

Fonte: http://ultimosegundo.ig.com.br,  pesquisa em 14/05/2013.

terça-feira, 7 de maio de 2013

TRAIÇÃO CONJUGAL



“Jardim fechado… Eu sou um muro, e os meus seios como as suas torres; sendo eu assim, fui tida por digna da confiança do meu amado”. (Gn. 2:24,25) Quem ama não trai. Com certeza não existe maior traição da confiança do que a infidelidade conjugal. 

POR QUE PESSOAS TRAEM? (Segundo o terapeuta norte-americano Alert Ellis).

Causas não-neuróticas:

Insatisfação sexual no casamento que pode levar a busca de compensação. A perda de atração pelo companheiro(a). O desejo sexual vai ficando reprimido e as fantasias vão se multiplicando até levar ao adultério. A excessiva absorção no trabalho, pode produzir no outro uma sensação de rejeição e abandono. O tédio, que vem da repetição, da rotina e que gera indiferença sexual e emocional. Extensos períodos de ausência. A pressão do estar longe de casa durante longos períodos de tempo pode ser esmagadora. Doenças físicas de vários tipos. Gestações sucessivas.

Causas neuróticas:

Os “mimados” – são aqueles que acreditam que precisam de tudo o que desejam. Encaram caprichos temporários com necessidades básicas. Os casos nunca correspondem suas expectativas, que são, aliás, irreais (ex: a síndrome do fim de semana perfeito, do sexo perfeito).

Os “narcisistas”- eles se consideram irresistíveis, têm uma necessidade constante de reconhecimento e admiração, uma enorme preocupação consigo mesmos e uma total incapacidade de corresponder. Adultério para eles é uma experiência de auto – engrandecimento.

Os “os fujões” – são aquelas pessoas que estão fugindo não apenas de si mesmas, mas da própria vida.

Os “imaturos”¬ – são os que através da infidelidade procuram afirmar, provar eternamente sua masculinidade ou feminilidade. A vida se transforma num teste contínuo de sedução. A mola propulsora desse comportamento é ansiedade.

Os “inseguros” – são pessoas que se auto desvalorizam, não se respeitam e não têm auto estima. Usam o adultério como fuga.

Os “vazios” – são os que sofrem de um grande vazio existencial e se recusam a dar um sentido para a própria vida. Estes vão tendo relacionamento promíscuos para encobrir a falta de nexo dentro de si mesmos.

Os “vingativos”- São os que traem tendo como motivação um sentimento de vingança.

A fidelidade conjugal da segurança ao casamento e garante a bênção de Deus na vida do casal. Veja o a Palavra de Deus diz: “Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula; porque Deus julgará os impuros e adúlteros”. (H. 13:4) Na verdade, o adultério é a manifestação da necessidade de cura, libertação interior.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...